Dermatite Atópica

O que é Dermatite Atópica?

Dermatite Atópica (ou eczema atópico) é um processo inflamatório crônico da pele caracterizado por lesões avermelhadas, descamativas, que coçam muito e, às vezes, infectam caracterizadas por lesões que minam secreção com posterior fase de crostas.

Como e quando ela aparece?

Ela é a primeira doença alérgica no bebê, na marcha atópica, podendo ser seguida no futuro outras doenças como alergia alimentar, rinite alérgica e asma. Geralmente, as lesões se localizam na face das crianças pequenas e nas dobras do joelho e cotovelo das crianças maiores e dos adultos.

O que causa a dermatite atópica?

Existem diversos fatores que contribuem para o surgimento ou piora da dermatite atópica, mas a causa ainda não está bem definida. Entre eles destacam-se:

  • Fatores genéticos (Pais alérgicos têm grande chance de terem filhos alérgicos, em especial quando a mãe é alérgica. Se ambos o são, a chance é de 80% de ter um filho alérgico);
  • Fatores ambientais (o ácaro, poeira domiciliar, é o alérgeno que mais contribui na piora da dermatite; outros são alterações climáticas extremas como frio ou calor);
  • Fatores irritantes (conservantes, produtos com álcool, produtos de limpeza e usados na lavagem das roupas, tecidos de lã ou nylon);
  • Alimentos (leite, ovo, soja, trigo, amendoim e frutos do mar são os principais);
  • Estresse emocional.

Quais os sintomas?

  • Prurido (coceira), que piora com a transpiração;
  • Lesões avermelhadas que podem apresentar vesículas e escoriações e funcionam como porta de entrada para bactérias.
  • Pele seca (xerose), liquenificada (aspecto de endurecida)

A dermatite atópica é contagiosa?

Não!! E este assunto deve ser amplamente abordado na escola ou trabalho para não gerar maior ansiedade para o paciente.

Por ocasionar erupções, manchas e intensa coceira na pele, comprometem a qualidade de vida da criança ou adolescente, especialmente por interferirem com o sono e pela aparência da pele comprometida, levando a situações de discriminação ou bullying, prejudicando ainda mais o emocional do paciente. Muitos casos são necessários a ação conjunta de um psicólogo ou terapeuta.

Diagnóstico

O diagnóstico é clinico avaliando os sintomas, característica e localização das lesões, a história familiar e a associação com outras alergias. Juntamente são solicitados testes alérgicos no sangue e cutâneos para avaliar a sensibilização de cada paciente e contribuir no tratamento, excluindo tais fatores.

Tratamento

O principal tratamento da dermatite atópica é mais simples, começa com os cuidados com a pele. A pele seca proporciona muito prurido e também mais chance de infecções no ato de coçadura.

Para tanto, é importante tomar banhos rápidos, não muito quentes, com pouca aplicação de sabonete e passar cremes hidratantes logo após o banho. Profilaxia ambiental também é fundamental, com controle dos alérgenos, o paciente deve evitar ou diminuir a exposição àquilo que provoca a alergia.

Caso se faça necessário e a critério do seu alergista, podem ser indicados medicamentos como corticoides tópicos, imunossupressores e anti-histamínicos. Antibióticos só devem ser utilizados quando houver infecção bacteriana.

Recomendações

  • Identifique os fatores de risco que ajudam a desencadear as crises para evitá-los. Essa é a melhor forma de prevenir a dermatite atópica;
  • Tome banhos rápidos, não muito quentes, use pouco sabonete, de preferência liquido e sem perfume e aplique hidratantes para impedir o ressecamento da pele;
  • Prefira as roupas de algodão. Evite roupas de lã ou fabricadas com tecido misto ou sintético;
  • Mantenha abertas as janelas e portas para que o ar circule pelos ambientes;
  • Procure avaliação de um alergista tão logo surjam os sintomas para evitar que o quadro se agrave!

Links Relacionados

Comentários estão fechados.

× WhatsApp