É possível prevenir alergias?

É possível prevenir alergias?

O aumento da prevalência de alergia alimentar, tem motivado a realização de estudos nas grandes universidades de pesquisa do mundo todo, sobre intervenção no âmbito da prevenção primária.

Estes estudos têm sido efetuados, particularmente em crianças com risco atópico, com o objetivo principal de estabelecer recomendações que permitam intervir precocemente, prevenindo o desenvolvimento de alergia alimentar.

Como já vimos, a alergia alimentar é uma reação que ocorre quando o organismo reconhece um alimento como um agressor.

O sistema imunológico desempenha um papel fundamental para:

  • ✔ A defesa contra as doenças.
  • ✔ Reconhecimento dos agentes patogênicos (vírus, bactérias, por exemplo).
  • ✔ Eliminar agentes patogênicos.

No caso de uma alergia alimentar o sistema imunológico reconhece erradamente um alimento como agressor e é desencadeada a reação alérgica.

Estudos aprontam que o histórico familiar e a exposição ao alérgeno são fatores críticos para o prognóstico de alergias, incluindo a sensibilização à proteína do leite de vaca.

Evidências dão conta de que a intervenção precoce nos lactentes em risco de alergia (com histórico familiar por exemplo), pode prevenir o desenvolvimento de alergias na infância.

Observou-se também, que a amamentação exclusiva até os 6 meses, evita ou reduz a exposição aos alérgenos do leite de vaca, prevenindo o início de alergias. Portanto NÃO façam exclusão alimentar como forma de prevenção, somente deve ser feito se o diagóstico de alergia alimentar já existir!

Embora não haja comprovação, nessa imensa busca pela prevenção das alergias, alguns estudos apontaram que, durante a amamentação, o que a mamãe come, pode no futuro desencadear alergias na criança (caso haja predisposição).

A verdade é que, diversas metanálises evidenciaram que a amamentação exclusiva dos lactentes com alto risco durante os primeiros 6 meses de vida, mostrou ser o padrão ouro para prevenir alergias (especialmente em relação a dermatite atópica).

Família de alto risco de alergia alimentar: crianças com um ou os dois pais e/ou irmãos com historia de doença alérgica (alergia alimentar, asma, rinite), deve ter os cuidados redobrados.

Lembrando que a introdução alimentar não deve ser antecipada ou adiada relativamente às recomendações para prevenir a alergia alimentar; devem seguir rigorosamente as orientações do pediatra, sendo ideal o acompanhamento em conjunto com o médico alergista.

Lembrando que a introdução alimentar não deve ser antecipada ou adiada relativamente às recomendações para prevenir a alergia alimentar; devem seguir rigorosamente as orientações do pediatra, sendo ideal o acompanhamento em conjunto com o médico alergista.

 

👉 PROCURE sempre um alergista!

Agende uma consulta

Comentários estão fechados.

× WhatsApp