Os Desencadeantes da Crise de Asma

Não está claro por que algumas pessoas têm asma e outras não, mas é provavelmente devido a uma combinação de fatores ambientais e genéticos (herdados).

Vários fatores podem desencadear uma crise de asma, pacientes que não fazem um adequado controle ambiental ou uso correto das medicações prescritas, estão mais propensos e correm o risco de apresentar os sintomas em qualquer época do ano.

Desencadeantes da Crise de Asma:

A exposição a vários irritantes e substâncias que provocam alergias (alérgenos) podem desencadear sinais e sintomas de asma.

Os disparadores de asma são diferentes de pessoa para pessoa e podem incluir:

  • Muitas pessoas com asma têm alergias, que podem desencadear sintomas de asma. Os alérgenos comuns incluem ácaros da poeira doméstica, pelos de animais, fungos e bolor, pólens e fezes de barata. Alimentos também podem exacerbar o quadro, quando associado a alergia alimentar.
  • A fumaça do cigarro é um irritante que muitas vezes agrava a asma. Sua asma também pode ser irritada pela poluição do ar, odores fortes ou fumaça.
  • Muitos pacientes com asma desenvolvem sintomas de asma durante o exercício. Isso é chamado de broncoconstrição induzida pelo exercício (BIE).
  • Alguns medicamentos podem piorar os sintomas de asma, como a aspirina ou anti-hipertensivos como o propanolol.
  • A ansiedade emocional e o estresse também podem aumentar os sintomas de asma e desencadear um ataque. O descanso adequado, a dieta e o exercício são importantes para a saúde geral e podem ajudar no manejo da asma.
  • Infecções virais e bacterianas, como o resfriado comum e sinusite, podem preceder uma crise de asma.
  • Exposição ao ar frio, ao ar seco ou às mudanças climáticas.
  • Refluxo gastroesofágico ácido descontrolado, com ou sem azia.

É importante ressaltar que ASMA 👉 TEM TRATAMENTO.

Seu alergista pode identificar o que você é alérgico e recomendar maneiras de evitar a exposição aos seus gatilhos.

Veja apostila sobre: Asma Grave "Fatores de Riscos e Desencadeantes"

Mais informações: Jornal Brasileiro de Pneumologia

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

WhatsApp