Controle e Tratamento de Asma

No Brasil, a asma afeta mais de 6,4 milhões de pessoas, de acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) do Ministério da Saúde e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Medir a carga do diagnóstico, a adesão aos tratamentos utilizados, a percepção dos pacientes e até o planejamento de políticas de saúde, são fatores importantes para a qualidade de vida de quem sofre com a doença.

O tratamento é baseado nas medidas de higiene do ambiente, medicamentos e vacinas para alergia. Os medicamentos disponíveis são divididos em: drogas de alívio (para crises) e profiláticas (manutenção).

A melhor forma de utilizar os medicamentos é a inalatória, pois assim são inalados diretamente para o local da reação e podem ser usados em doses menores que as necessárias por outras vias.

A asma tem diferentes graus de gravidade, podendo evoluir. O grau mais brando tem sintomas leves e com períodos de acalmia. Manifesta-se em até dois dias por semana e até duas noites por mês. Ela pode evoluir até ao graus mais graves, onde ocorrem sintomas persistentes ao longo do dia, frequentemente durante a noite e várias vezes por semana.

Os sintomas da asma variam de pessoa para pessoa; podem ser ataques frequentes, ter sintomas apenas em determinados momentos, como durante o exercício físico ou ter sintomas o tempo todo.

Ela afeta pessoas de todas as idades e geralmente começa na infância, embora também possa se desenvolver pela primeira vez na fase adulta.

Atualmente não há cura, mas existem tratamentos simples que podem ajudar a manter os sintomas sob controle, para que não tenha um grande impacto na qualidade de vida do paciente.

👉 AGENDAR UMA CONSULTA COM ESPECIALISTA EM ALERGIAS

Agende uma consulta

Comentários estão fechados.

× WhatsApp