Bronzeamento com Biquíni Adesivo

Bronzeamento com biquíni adesivo.

Essa modalidade de bronzeamento está fazendo sucesso no verão: tomar banho de sol usando um biquíni feito com fita isolante ou outras fitas adesivas, inclusive esparadrapo.

O grande problema é que tanto o esparadrapo como a fita isolante têm ‘cola’, que em contato com a pele, pode provocar uma dermatite de contato primária (por ação química do produto) ou alérgica, o que se caracteriza pelo surgimento de coceira, bolinhas e descamação na área afeta.

Além disso, na hora da remoção desses adesivos, pode ocorrer os microtraumas, ou seja, feridinhas e cortes principalmente em áreas muito sensíveis, como é o caso da mama; outro problema é que, como são feitos de plástico, os biquínis formam uma película e impedem a transpiração.

Vale lembrar que a dermatite nem sempre surge na primeira exposição, ela pode se desenvolver após nas próximas vezes em que for tomar sol com a fita no corpo; e, provocar coceiras, feridas, queimaduras e até bolhas (dermatite de contato por sensibilização).

O tempo de exposição ao sol também influencia, já que, nessa prática, nem sempre são seguidas as a recomendações do tempo máximo de meia hora, entre as 🕕 6h e 10h, ou após às 🕓 16h; e normalmente são utilizados aceleradores de bronzeamento e o protetor solar é “esquecido”.

Portando, 👉 CUIDADO com modas que podem colocar em risco sua saúde, por toda a vida!

Se você tiver dúvidas, consulte seu alergista/imunologista 👉 ANTES de aderir à prática.

Agende uma consulta

Comentários estão fechados.

× WhatsApp