Antialérgicos na Gravidez são Seguros?

O uso de anti-histamínicos durante a gravidez tem sido muito controverso devido a possíveis efeitos teratogênicos (aparecimento de anomalias genéticas) desses medicamentos, principalmente os anti-histamínicos antigos.

Todo medicamento usado na gravidez deve ser avaliado se apresenta riscos para o feto como teratogenicidade, aborto ou outras alterações e deve ser feita uma avaliação cuidadosa do risco/benefício pelo MÉDICO, antes de prescrevê-los.

LEMBRANDO portanto, que automedicação é arriscada para grávidas, pois certos componentes da fórmula do remédio podem piorar a doença e até potencializar o surgimento de outros males, e no caso de gestantes, oferecer riscos ao bebê.

Na gestação podem aparecer novas doenças alérgicas como predispor a piora de doenças pré-existentes. As grávidas estão mais suscetíveis a ter alergias, por diversas mudanças neste período como a diminuição da imunidade para poder receber o bebê, conferindo a gestante maior predisposição a reações alérgicas a alimentos, reações de pele e respiratórias.

Outra grande mudança são as alterações hormonais, como o aumento de estrógeno e progesterona, esta última que é fundamental na manutenção da gestação.

Para as gestantes que sofrem de rinite, asma, urticária, ou qualquer alergia, o ideal é não utilizar antialérgicos nos três primeiros meses de gestação, mas se este for necessário deve-se optar pelos novos anti-histamínicos de segunda geração com risco B para a gestação.

Em situações extremas, o médico poderá indicar alguns medicamentos para utilização bem cautelosa. Portanto, a primeira atitude ao perceber qualquer sintoma alérgico, é consultar o médico alergista.

Vacinas de alergia ou imunoterapia na gestação

Tudo depende em qual fase do tratamento esta:

  • Se ainda não iniciou a imunoterapia --> Está contraindicado iniciar na gestação;
  • Se já havia iniciado e está na fase de indução (progressão inicial) --> Recomenda-se parar e iniciar após o parto;
  • Se já havia iniciado e está na fase de manutenção (mesma dose mensal) --> É permitido manter o tratamento.

Dica:

Para as mulheres sabidamente alérgicas, procurar um alergista antes de engravidar, para realização de investigação diagnóstica, pela história clínica e exames (teste cutâneo, exames de sangue e testes de provocação).

Especialmente em casos de alergias a fármacos, como à anestésicos locais e gerais, alergias com indicação de imunoterapia (venenos de insetos) e história prévia de anafilaxia.

Mais informações

Agende uma consulta

 

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

× WhatsApp