Alergias na Gravidez… O que fazer?

Alergias na Gravidez... O que fazer?

As alterações hormonais da gravidez trazem uma série de mudanças no organismo da mulher. Durante a gravidez podem surgir novas doenças alérgicas ou exacerbar as alergias pré existentes. Em média, as doenças alérgicas na gestação podem em 1/3 melhorar, 1/3 ficar estável e 1/3 piorar, como a asma, rinite e alergias cutâneas.

1. Se eu não tive alergia na primeira gravidez, posso ter agora?

Cerca de 8% das mulheres acabam por desenvolver alergias durante a gravidez, mesmo as anteriormente assintomáticas. As modificações hormonais que ocorrem nesse período acabam por permitir o desenvolvimento de sintomas antes inexistentes.

2. As alergias na gravidez podem ser tratadas?

Ao contrário do que se pensa, as doenças alérgicas durante a gravidez podem e devem ser tratadas, desde que prescrito pelo médico. É muito comum a gestante com asma parar de usar suas medicações habituais como as "bombinhas" de corticoide ou broncodilatadoras com medo de prejudicar o feto, entretanto a asma materna mal tratada pode levar a restrição de oxigênio para o feto, parto prematuro, além dos prejuízos para a mãe sem o tratamento.

3. E os efeitos colaterais dos tratamentos?

Sempre consulte seu médico que poderá explicar os riscos e benefícios que cada medicamento pode causar na gestação. Claro que devemos minimizar o uso de medicações na gestação, mas nunca deixar de tratar as doenças crônicas que podem ter descompensação levando a risco materno e do feto.

O risco de deixar uma doença alérgica sem controle é maior que os possíveis efeitos colaterais dos remédios. Lembrando que tudo deve ser supervisionado pelo seu médico alergista pois ele irá saber qual medicamento tem um perfil de segurança melhor para sua gestação.

4. Se eu nunca tive alergia a um alimento, na gravidez posso ter?

A alergia não surge de repente, normalmente a mulher já tem uma predisposição a ter uma reação a determinado alérgeno e, como na gravidez a imunidade fica reduzida, a mulher fica mais sensível.

5. Se eu tiver alergia a um determinado alimento, meu filho nascerá com alergia a este mesmo alimento?

A hereditariedade é um fator muito importante... Se a mãe é alérgica, o filho tem chance de 50-60% do filho desenvolver algum tipo de alergia, porém no caso da alergia alimentar já está bem descrito na literatura que NÃO devemos fazer exclusão ou dieta de restrição na gestação para prevenir alergias alimentares ou cutâneas no bebê.

6. Quais são as alergias de pele mais comuns na gravidez?

Durante a gravidez a pele se modifica em resposta às alterações hormonais; fica mais ressecada com aumento da transpiração, com predisposição a ter estrias e manchas, podendo surgir coceiras e outras alterações cutâneas. As doenças alérgicas cutâneas mais comuns na gestação são: dermatite atópica, dermatite de contato e urticária.

7. Quais os cuidados com a pele na gravidez para evitar alergias?

A pele pode ressecar mais rápido agora que você está grávida. Não tome banhos e nem use bucha! Utiliza logo após o banho hidratante neutro na pele. Use roupas leves e de algodão, para que a pele respire livremente, sem pressionar ou causar atrito. Se você sentir coceira e o incômodo for muito grande procure um alergista.

O leite materno é uma grande arma de defesa para o bebê, em especial nos primeiros meses de vida, quando a produção de anticorpos pelo organismo infantil ainda não começou.

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

× WhatsApp