Alergia ao suor

Alergia ao suor

A alergia ao suor é mais comum do que se imagina e pode apresentar-se desde uma miliária, que são brotoejas (comuns em bebês), até uma urticária colinérgica.

Fatores desencadeantes podem ser hipersensibilidade ao calor do corpo (que pode ocorrer também por alterações emocionais); mudança no pH da pele; fricção em algumas regiões como axilas, atrás dos joelhos e virilha; roupas de tecidos que retêm a transpiração ou até mesmo o exercício físico intenso.

👉 Os sintomas geralmente são:

  • 🔸 Irritação na pele;
  • 🔸 Coceira;
  • 🔸 Ardência;
  • 🔸 Aparecimento de brotoejas e manchas avermelhadas;
  • 🔸 Urticária (lesões avermelhadas e pruriginosas).

A melhor prevenção contra a alergia ao suor é evitar fatores que aumentem a temperatura corporal.

👉 Algumas mudanças na rotina podem ajudar:

  • 🔹 Prefira roupas confortáveis, leves e ajudem a pele a transpirar melhor, como algodão e linho; isso vale também na hora de se exercitar.
  • 🔹 Mantenha a pele hidratada e tome banhos mais frios, principalmente em dias quentes.
  • 🔹 Ao perceber a pele irritada após o uso de algum produto, deixe de usá-lo.
  • 🔹 Antitranspirantes que contém sais de alumínio reduzem a transpiração, o que pode ajudar a prevenir irritações causadas pela alergia ao suor.

Por último, não deixe de procurar o seu alergista/imunologista.

Agende uma consulta

Comentários estão fechados.

× WhatsApp